Sabendo que a sardinha é um dos peixes mais consumidos em Portugal e que uma dúvida frequente das pessoas é se o peixe que consomem é mais saudável que a carne, faremos  hoje uma comparação, tendo por base tabelas da USDA.

Segundo a  Associação Portuguesa dos Nutricionistas: "as espécies mais gordas, como a cavala e a sardinha, apresentam um conteúdo superior em ácidos gordos polinsaturados, o que representa uma vantagem em termos nutricionais." No entanto, a esta análise falta, a meu ver, um aspeto muito importante: a sardinha contém mais gordura saturada que a carne! Deve-se falar em vantagem nutricional quando se aconselha esta bomba de  gordura?

Como sabemos, as consequências de um consumo elevado de  gordura são as doenças mais comuns da atualidade: doença cardiovascular,  obesidade, hipertensão, diabetes, etc... Estranho isto passar despercebido a quem tem o dever de educar nutrição.

A sardinha  contém quase 2x mais colesterol, quase 9x mais sódio e menos potássio que a carne. Quando se fala de saúde cardiovascular estes factos não podem ser omitidos.

Mas a sardinha não é melhor para os intestinos do que a carne? Atendendo que os produtos de origem animal são isentos de fibra, a resposta é óbvia... sem o consumo de vegetais os problemas na defecação são certos.

Mas e as proteínas?

Atendendo que em  100g de feijão preto, por exemplo, se consegue 21g de proteína ao mesmo tempo que obtemos fibra, baixo nível de gordura e é isento de colesterol, porque não promover as opções vegetais e mudar o panorama atual de saúde?

Jessica Pacheco